quarta-feira, novembro 13, 2019

Em Parnaíba, 5 vereadores votam contra e Projeto para beneficiar famílias de baixa-renda é reprovado

Em uma sessão tensa e bastante movimentada, esteve em pauta o Projeto de Lei Nº 4.535/2019, que trata da cessão de uso e posterior doação de 5.000 M² de área desabitada do Bairro Reis Veloso. A Matéria foi enviada pelo Prefeito Mão Santa (DEM), solicitando autorização do poder legislativo para a doação de 30 lotes do referido terreno. As famílias foram cadastradas pela SEDESC – Secretaria de Desenvolvimento Social e Cidadania e atendeu uma série de requisitos seguidos de investigação social.
Dos 17 vereadores da casa, somente o Vereador Ronaldo Prado esteve ausente, informações obtidas pela reportagem dão conta que o parlamentar resolve problemas de saúde com uma pessoa de sua família. O plenário da casa, recepção e frente da Câmara ficou completamente lotada.
Antes da votação os parlamentares discutiram a matéria: Vereadores de situação, como Joãozinho do Trânsito, Francisco Da Paz, Bernardo Lima, Joãozinho da Unimagem, Daniel Jackson, André Neves, Neta Castelo Branco e Carlson Pessoa usaram da palavra para elogiar o projeto e reforçar que votariam a favor.
Vereador Antônio Fortes Diniz mostrou preocupação com alguns pontos do Projeto, mas com dúvidas respondidas, apresentação de uma emenda ao texto e satisfeitos com as explicações, o edil também votou favorável a matéria.
Da oposição: os vereadores Beto Teles, Ricardo Veras, Fátima Carmino, Reinaldinho e Daniel Miranda foram contrários e derrubaram o projeto. O jovem Vereador Daniel Miranda (PRB), foi o único da oposição a se pronunciar ferrenhamente contra a matéria e fez questionamentos ao representante da Prefeitura sobre o projeto, o edil apresentou inclusive documentos, que segundo ele, comprovariam falhas na matéria.
O presidente da casa, Vereador Geraldinho, apesar de ser favorável ao projeto, não foi voto suficiente para aprovar a matéria. Para que fosse aceita pela câmara, o projeto precisaria de 2/3 de votos favoráveis, ou seja, pelo menos 12 votos de vereadores. Faltando apenas um voto, o projeto foi reprovado em primeira votação e deverá ser apresentado em uma posterior sessão.
O Vereador Ricardo Veras (PSD), antes da votação do projeto apresentou o pedido no plenário para que fosse realizada uma segunda sessão e desta forma a oposição conseguiria derrubar definitivamente o projeto. O líder do Governo, Carlson Pessoa em resposta encaminhou a base da gestão municipal, que fosse contrário ao pedido de Ricardo e assim foi feito. Com uma segunda sessão, os vereadores da base, Prefeitura e a própria população tentarão mais uma vez convencer os vereadores de oposição sobre a importância da aprovação da matéria.
Fonte: K3 Notícias