domingo, novembro 17, 2019

Mais de 1,6 tonelada de resíduo é retirado de Pedra do Sal e placas de advertência são roubadas

                                        Foto: Capitania dos Portos-PI
Em pleno feriado prolongado, o litoral do Piauí continua registrando incidência de manchas em suas praias. Apenas neste sábado (16) foram retirados 1.650 kg de resíduos contaminados com óleo da praia de Pedra do Sal, o maior registro em um único ponto desde o aparecimento do material, no final de setembro. 
Placas foram retiradas do local  - Policia investiga o caso
Placas que alertam que as praias estão impróprias para banho foram retiradas neste final de semana. “A Ciptur (Companhia Independente de Policiamento Turístico ) está investigando e permanece o alerta para o banho impróprio nas três praias: Atalaia, Pedra do Sal e Peito de Moça”, confirmou o gerente de fiscalização da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar), Renato Nogueira.
Desde as primeiras ocorrências, já foram retiradas mais de três toneladas de resíduos contaminados, incluindo areia, capim, cordas e redes de pesca. Ainda há materiais a serem recolhidos. Os resíduos estão sendo armazenados em tambores e levados a um aterro controlado na cidade de Parnaíba.
Após a identificação de focos de óleo em praias do Delta, o trabalho dos órgãos ambientais vai focar a parte oeste no litoral piauiense nos próximos dias. 
“Hoje estamos avaliando o que foi feito ontem (16). Amanhã nós vamos a praia do Pontal, última praia antes de chegar no Delta e na terça-feira iremos ao Delta com uma embarcação junto com a prefeitura de Ilha Grande monitoras as praias nas ilhas do Delta”, explicou Renato Nogueira.
Neste final de semana, um helicóptero vistoriou a área e não identificou a presença de novas manchas em mar aberto.

Banhistas em risco
Visitantes enviaram ao Cidadeverde.com imagens que mostram banhistas na praia de Peito de Moça neste domingo (17), em contato com a água, próximos a uma das placas que sinalizam o risco de contaminação. 
“É um risco o contato direto com o óleo. Inclusive, ontem (16) a gente viu muitas pegadas em cima do óleo. Isso mostra que areia e a água estão contaminadas”, alertou o gerente.
O contato da pele com óleo pode desencadear em alergia, coceira e vermelhidão. Caso ingerido, o material pode gerar dor de cabeça e náuseas.
Uma maratonista piauiense registrou uma óleo em Pedra do Sal enquanto participava de uma corrida.
Fonte: Cidade Verde