sábado, novembro 30, 2019

PM diz que vai abrir processo administrativo para analisar conduta de policiais presos em operação

Comandante geral da PM-PI, Coronel Lindomar Castilho 
A Polícia Militar do Piauí (PM-PI) informou que vai abrir um processo administrativo para investigar a conduta dos dois policiais da corporação presos nesta sexta-feira (29) suspeitos de roubar armas, bens e drogas de traficantes durante o exercício de trabalho. De acordo com a corporação, uma das consequências mais graves pode ser a expulsão. (REVEJA MATÉRIA)
Os dois cabos da Polícia Militar foram presos na manhã desta sexta-feira (29) em Teresina. Eles também são suspeitos vazar informações privilegiadas de operações a bandidos. Segundo o comandante geral da PM-PI, coronel Lindomar Castilho, será nomeado uma comissão chamada de Conselho de Disciplina, formada por três oficiais que farão a apuração do caso.
“Eles vão buscar saber se o crime cometido pelos policiais configura uma transgressão, que afeta o nosso estatuto e nossa guarda disciplinar. Essa exposição do nome da polícia em razão da conduta deles será apurada, no que diz respeito a questão da ética e da honra do Policial Militar”, explicou.
De acordo com Lindomar Castilho, caso seja comprovado a má conduta, os policiais estão sujeitos a várias punições sendo a mais grave delas a expulsão da corporação. “O processo pode resultar em advertência, afastamento, reforma, que é a aposentadoria compulsória, e em caso mais extremo a expulsão”, contou.
Conforme o coronel, o processo de averiguação deve durar 40 dias. A comissão vai inquerir os acusados, reunir documentos e emitir relatórios. Em seguida, o processo será submetido à Procuradoria Geral do Estado, que analisará se foram obedecidos os devidos processos legais e ao final retorna para o comandante que tomará a decisão.
Foto: Catarina Costa/G1 PI