terça-feira, janeiro 28, 2020

No Piauí, eletricista é preso pelo Greco acusado de furto de energia

A policia estourou pela quarta vez, no Residencial Esplanada, na zona Sul de Teresina, um laboratório que fraudava medidores de energia. Um eletricista de iniciais J.K.F.C.S, 50 anos, foi preso na operação. Na ocasião foram apreendidos medidores de energia da concessionária Equatorial. 
O laboratório contava com centenas de ferramentas e peças para fraudar medidores de empresas com alto consumo de energia em pelo menos 7 cidades do Piauí, incluindo Teresina. 
Segundo o delegado Laércio Evangelista, do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), o homem já foi preso pelo mesmo crime no mesmo local há oito anos. O eletricista bem como as empresas que pagaram para a instalação da fraude irão ser autuadas por furto e receptação.
“Esse indivíduo já é um conhecido da polícia, o Greco já realizou a prisão dele pelo menos três vezes. Da última vez que foi preso, o eletricista estava com mais de 60 medidores nesse laboratório que ele mantém dentro da própria casa. Ele tem todo um aparato de equipamentos para abrir e manipular medidores”, explicou o delegado. 


Lacres originais da Equatorial foram encontrados no laboratório. Funcionários ligados à concessionária também serão investigados por suspeita de envolvimento com as fraudes.
“Já identificamos uma equipe de funcionários que presta serviço para a empresa Equatorial que teria fornecido esses medidores para ele fraudar. Ele tanto se apresenta para a empresa para fraudar os medidores da empresa como ele comercializa, ele tem esses medidores fraudados e comercializa com essas empresas”, conta o delegado.
Na casa do suspeito, onde foi encontrado o laboratório, a polícia ainda identificou um furto de água. 
Crimes ocorriam em todo o estado
Os medidores eram adulterados de forma a mascarar o consumo real das empresas. De acordo com o Greco, as fraudes ocorreram em pelo menos sete cidades piauienses. Além de Teresina, empresas de Piracuruca, Esperantina, Luís Correia e Anísio de Abreu são investigadas e empresários foram presos por furto de energia.
“Fiscalizando essas empresas, foram dezenas delas tanto na região Norte quanto no Sul do estado, todos os responsáveis, inclusive os que foram presos por furto de energia, sempre relataram que haviam sido abordados por esse eletricista que chegava oferecendo seu serviço cobrando de R$ 3 mil a R$ 7 mil para fraudar o medidor”, contou o delegado Laércio.
Prejuízo de R$ 250 mil
Desde o ano passado, apenas no Norte do estado, o prejuízo teria ultrapassado R$ 1 milhão “Um levantamento feito pela Equatorial é que essas empresas geraram um prejuízo mensal de R$ 250 mil, equivalente a um consumo de um shopping center ou de pequenas cidades”, explicou o delegado da Greco.
Segundo Laércio Evangelista, cerca de 20% do valor desviado era repassado para os consumidores que também foram afetados com o não pagamento aos cofres públicos do ICMS por parte das empresas.
Operação Recaída
Em 2019, a Equatorial Piauí intensificou a fiscalização nas unidades consumidoras do “Grupo A”, os grandes clientes que consomem altas cargas de energia. A empresa trabalhou em parceria com o Greco para a investigação dos crimes.
Em maio de 2019 foi iniciada a Operação Recaída, na região Norte do Piauí que foi direcionada para a região Sul em setembro de 2019. Alguns consumidores que já haviam sido encontrados com fraude, voltaram a burlar a medição de energia elétrica. Todas as alterações investigadas na operação seriam de autoria do eletricista preso nesta terça-feira (28).