sexta-feira, fevereiro 07, 2020

No Piauí, jovem é morto por olhar para criminosos em assalto

  Foto do jovem que morreu Antônio da Cruz Oliveira/ arquivo da família
Um assalto à lanchonete Lili Doces, no povoado Estaca Zero, na cidade de Lagoinha do Piauí, a 100 Km de Teresina, terminou com a morte de um funcionário. O crime aconteceu por volta das 22h dessa quinta-feira (6) no momento em que o estabelecimento estava sendo fechado. 
                                  Foto: arquivo Alagoinha Notícia
O funcionário identificado como Antônio da Cruz de Oliveira, 22 anos, foi morto com um tiro na cabeça. O delegado Dyego Pascoal, da Delegacia Regional de Água Branca, informou ao Cidadeverde.com que quatro homens chegaram na lanchonete anunciando o assalto. Os criminosos fecharam as portas da loja e fizeram todos os funcionários reféns.
"Eles mandaram os funcionários deitar no chão com a cabeça baixa. No desenrolar do roubo um dos funcionários,no momento de tensão, ficou deitado no chão, mas ficou olhando para cima,acredito que pelo momento de tensão. Por perversidade um dos assaltantes executou este funcionário na saída. Segundo os relatos dos funcionários, eles agiam com muita violência", conta o delegado. 
A Polícia Civil tem fortes indícios de que os assaltantes tinham informações privilegiadas sobre a lanchonete e não descarta uma "parada dada". No local havia dois HDs para gravar imagens no circuito de segurança. "Um desses HDs era verdadeiro e estava escondido na sala do gerente. O outro era falso e estava em um local falso. Eles levaram os dois", acrescenta o delegado Dyego.

Além dos HDs, os assaltantes levaram um revólver calibre 38 e uma espingarda que estavam na lanchonete. Mais de R$ 2 mil e celulares de funcionários também foram roubados na ação. A polícia vai investigar se as armas estavam legais.
Os assaltantes fugiram e a polícia ainda não tem informações sobre o paradeiro deles. "Há uma dificuldade porque a região tem muita rota de fuga, mas vamos fazer o máximo para elucidar esse crime bárbaro. Fugiu um pouco do que a gente tem visto aqui na região", afirma o delegado.
O comandante da Polícia Militar de Alagoinha, Geailson Lima, destacou que o assalto chama atenção pelo nível de violência. Segundo ele, o vigilante da lanchonete levou mais de 10 coronhadas dos criminosos.
"Ninguém reagiu, era sem reação e mesmo assim eles agiram com muita violência. Acreditamos que os assaltantes não são dessa região, não são ladrões de celulares", disse o comandante.
A Polícia Militar crê que o assalto foi planejado e com ajuda de pessoas que conhecia a rotina da lanchonete.
"Alguém passou tudo. Eles entraram, baixaram a porta e já sabiam que exista uma câmera que não funcionava e outra que gravava. Levaram todas as imagens. Eles entraram já pedindo o revólver do vigilante", disse o comandante.
Informações Cidade Verde