segunda-feira, fevereiro 10, 2020

Professores da rede estadual fazem protesto e deflagram greve no Piauí

                                       Foto: Andrê Nascimento G1
O governo do estado e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informaram que os professores receberão piso salarial acima do estabelecido pelo governo federal, mas categoria diz que valor anunciado já inclui gratificações.
Professores da rede estadual de ensino deflagraram greve e realizaram protesto na manhã desta segunda-feira (10) no Centro de Teresina. A categoria pede que o reajuste de 4,17% para o ano de 2019 e de 12,84%, para 2020, inclua também os aposentados. O governo do estado e a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informaram que os professores receberão piso salarial acima do estabelecido pelo governo federal. Categoria diz que valor anunciado já inclui gratificações.
“É a nossa valorização. Nós queremos o reajuste salarial de 4,17% para 2019, e o governo colocou apenas para os ativos, e os aposentados nada. E o desse ano que é de 12,84%, também para ativos e aposentados”, disse Paulina Almeida, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Piauí (Sinte).

Paulina declarou ainda que o governador considera gratificações incluídas no salário, o que, segundo eles, não representa de fato o valor do piso dos professores.
“Essa notícia [do reajuste acima do piso nacional] foi enviada à imprensa, mas não à categoria, isso é uma forma de colocar a opinião pública contra os professores. A categoria entrou de greve hoje, em todo o estado e nos núcleos regionais as assembleias estão ocorrendo e decidindo também pela greve”, disse.
Projeto de lei para a Alepi
O governo do estado informou que encaminhará à Assembleia Legislativa, nesta semana, um projeto de lei estabelecendo que o menor valor pago para os professores 40 horas da rede estadual de ensino seja de R$ 3.167,17. Assim, afirmou que o piso estadual se manterá acima de R$ 2.886,24, que é o valor definido nacionalmente pelo governo federal.
A Seduc informou que o reajuste concedido por meio de incorporação de auxílio-alimentação garante que o governo cumpra a Lei de Responsabilidade Fiscal. Para este ano, o governo informou que pagará valor superior ao piso e manterá o auxílio de 4,31%. O cálculo, de acordo com o governo, foi feito com base com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).
Caminhada pela Avenida Frei Serafim
O ato teve início às 9h e a categoria realizou caminhada pela Avenida Frei Serafim, partindo da lateral da Igreja São Benedito até o cruzamento com a Rua Coelho Rodrigues, no sentido Centro-Leste. Depois, os manifestantes voltaram pela Avenida no sentido Leste-Centro em direção ao Palácio de Karnak, sede do executivo estadual. As vias ficaram parcialmente interditadas durante o percurso.
Chegando à lateral do Palácio, na Rua Sete de Setembro, a Superintendência de Trânsito e a Polícia Militar acompanharam o ato. Por volta das 11h, o protesto foi encerrado. Não houve ainda negociação entre o governo e representantes da categoria.
Fonte: G1/PI