segunda-feira, março 30, 2020

Vereador denuncia que pessoas que tiveram contato com prefeito morto por coronavirus não fizeram testes

Carlos Samuel (PL) - Presidente da Câmara Municipal
Segundo o presidente da Câmara Carlos Samuel, situação em São José do Divino é de muita aflição por parte da população; disse ainda que falta ambulância, enfermeiras.

Prefeito Antonio Felícia (falecido)
A cidade de São José do Divino teve a primeira morte no Piauí devido a contaminação pelo novo coronavírus, que foi o prefeito do município, Antônio Nonato Lima Gomes, o Antônio Felícia (PT), 57 anos, na madrugada desta sexta-feira (27), no entanto, o OitoMeia recebeu a informação que, mesmo após o óbito, os testes para o Covid-19 não estão sendo realizados em familiares e pessoas mais próximas a vítima.
A Unidade Básica de Saúde (UBS) do município, aliás, sequer recebeu os kits de testes para o coronavírus. Uma equipe da Vigilância Sanitária ligada a Secretaria de Saúde do Estado (Sesapi) esteve na cidade ainda neste sábado (28/03), porém, apenas realizou uma live com o intuito de repassar orientações sobre a quarentena. A informação é a de que não foram feitos testes para saber se mais pessoas estariam infectadas.
Quem repassa essas informações é o presidente da Câmara de Vereadores de São José do Divino, Carlos Carvalho Araújo, o Carlos Samuel (PL). Segundo ele, os kits com testes ficaram na cidade vizinha, Piracuruca, onde o secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, também realizou uma visita no sábado (29). De acordo com o vereador, a população tem sofrido estigma após o diagnostico de Covid-19 do prefeito.

10% DA POPULAÇÃO ESTIVERAM COM PREFEITO
O presidente da Câmara Municipal classificou como “descaso” a decisão de não testar as pessoas que tiveram contato próximo com Antonio Felícia. Bem como a decisão de deixar os testes na cidade de Piracuruca. O vereador denunciou que São José do Divino sequer tem uma ambulância equipada para o transporte de pacientes com suspeitas de Covid-19. E por isso teme que a contaminação se espalhe ainda mais na conhecida “terra do leite”.
Ainda no sábado (28), segundo o vereador Carlos Samuel, três enfermeiras que tiveram contato direto com Antônio Felícia foram afastadas. Portanto, o efetivo de profissionais da saúde na região está desfalcado. Carlos cobrou ações efetivas do Governo do Estado em relação a pandemia, que registrou o primeiro óbito por coronavírus no Piauí. O vereador afirmou que entende que os testes estão sendo realizando em pacientes com sintomas graves, porém, afirmou que a população da cidade esperava receber um maior aparato do Governo do Estado, ou até mesmo do Governo Federal, em relação a doença, como equipamentos ou reforço na equipe técnica.
“Eles vieram aqui, falaram o que já estamos cansados de ouvir. Falaram o que vemos de 5 em 5 minutos na TV. O que queremos é uma atenção, sentir uma firmeza. Eles realizaram esse teste no prefeito, que já estava morto. Vai ser assim também com os demais da população? Metade das pessoas aqui teve contato direto e a gente não vê nenhuma atenção. O prefeito de Caraúbas (Caburé) teve um contato de 5 minutos com o Antonio Felícia e já fez esse teste. E as outras pessoas que estiveram com o prefeito?! Até agora nada?! A esposa não fez, os empregados da casa não fizeram teste, os funcionários da prefeitura não fizeram… ninguém. Eles [a Sesapi] vieram aqui. Só fizeram uma live e pronto. Foram embora. É só isso?!”, cobrou o parlamentar, por telefone, à reportagem do OitoMeia.
O OUTRO LADO
O OitoMeia entrou em contato com o Coordenador Estadual de Comunicação do Governo do Estado, Allisson Bacelar, que respondeu que sobre a realização da testagem, a Sesapi segue o protocolo do Ministério da Saúde. Em todo o Brasil, laboratórios de análise diagnóstica passaram a restringir os exames de coronavírus com o objetivo de garantir a disponibilidade de testes para os casos mais urgentes.
“O protocolo do Ministério da Saúde define que os testes são feitos quando a pessoa apresenta sintomas. Se ela não apresenta, a recomendação é ficar em quarentena, de 7 a 14 dias. De toda forma, os testes não são feitos na cidade, mas em Teresina. Lá eles só pegam as amostras”, explicou Bacelar.
Fonte: OitoMeia