sábado, abril 11, 2020

Mão Santa: “O governador e seu secretário não entendem nada de saúde. É um cego puxando o outro”

O prefeito de Parnaíba, Mão Santa, disse ao blogdobsilva que no Piauí, “estamos muito mal, porque estamos impedindo o povo de trabalhar. E isso não é coisa de Deus, que nos mandou trabalhar. A falta de trabalho leva à preguiça e ao tédio. Esta estagnação, se não reagirmos, vai nos levar à pobreza e à fome que mata. E aí, é desgraça muita”.
Mão Santa se referia aos rigores do decreto do governador Wellington Dias, determinando que moradores e empresas do Piauí que desrespeitarem o período de quarentena determinado pelo governo do estado para combater o novo coronavírus serão multados entre R$ 500 e R$ 17.650.
“Isso é o maior sinal que ele não sabe de nada. Ele (W. Dias) e seu secretário (Florentino Neto) não entendem nada de saúde. É um cego puxando o outro. Há o direito sagrado de ir e vir. Tem que botar a polícia é para prender os bandidos e não os trabalhadores. Tem muito bandido no Piauí, inclusive em cargos públicos”, destaca o prefeito.
Ele afirmou ainda ser contrário à proibição das pessoas de irem às praias. “Está provado que o vírus se propagada mais é em temperaturas mais baixas. Ele não sobrevive às altas temperaturas. E estamos numa região tropical”, salientou Mão Santa, apoiado pelo médico Valdir Aragão, seu assessor especial, que tem muitos anos de experiência em saúde pública.
Para Mão Santa, a pobreza extrema é pior do que o coronavírus. “Mas este povo do PT não está preocupado com pobreza. Eles estão ricos, porque roubaram e continuam roubando. Eu sou casado com uma mulher que a estas horas está distribuindo alimento aos pobres. Quem prega contra o trabalho, não é de Deus. O Dr. Valdir (Aragão), está aqui dando exemplo. É cardíaco, diabético, mais de 70 anos, mas está trabalhando, prestando um grande serviço à cidade”, pontuou o prefeito.
Texto:B. Silva//Fotos: Ribamar Aragão