quarta-feira, maio 13, 2020

Descaso: Populares se juntam para construir ponte em cidade do Piauí

Com ausência do poder público municipal, populares se juntaram para construir uma passagem sobre o Rio Piauí, no município de São João do Piauí. Muitas comunidades necessitam passar por este curso de água para chegar ao centro da cidade, onde além de pontos comerciais estão os órgãos administrativos do município, do estado, escolas, instituições financeiras como agências bancarias e lotéricas. A cidade é administrada por Gil Carlos (PT). As informações são do portal Sanjonense.
Esse beco, que fica entre o final da Avenida Henrique Coelho e a comunidade Curtume, é um acesso muito usado pelos moradores das localidades Espinheiro, Curral Velho, Pé do Morro, Angical, Feituria, Junco, Malhada, Canavieira, Riacho e Baixão.
No local nunca foi construída uma estrutura por uma gestão pública e sempre que o nível da água sobe a pequena ponte de madeira é danificada e as pessoas reconstroem novamente, não é forte e nem tem largura suficiente para o transito de carros, mas já ajuda muito aos condutores de moto, ciclistas e pedestres.

Em outro beco, depois do Curtume, a cheia do rio deste ano também danificou outra passagem construída com piçarra e boieiros por proprietários de caminhões. A estrutura beneficiava os moradores das comunidades já citadas, principalmente as mais distantes do centro da cidade.
Nesse último local, no momento que estávamos fazendo a reportagens, encontramos o universitário em Educação Física, Guilherme, que é obrigado a passar pelo rio todas as manhãs para realizar entrega de leite e o mesmo nos disse que sem a passagem ele tem que enfrentar uma aventura para passar por dentro d’água com sua moto.
“É um verdadeiro rally, pois além do perigo de passar por dentro d’água ainda têm as péssimas condições das estradas, faço esse percurso todos os dias, pois meu único sustento é um leitinho que vendo diariamente.”
O perguntamos como faz para entregar o leite quando o rio está com muito volume de água. “Então, pegamos uma estrada alternativa, que liga essa região de baixo até o bairro Vila Foca e passamos pela ponte na BR-020. Além de ser uma estrada pior, ainda andamos o dobro da distância comparada a essa do Curtume.”
Sem estas pontes improvisadas, as opções são poucas e distantes para a travessia sem passar por dentro da água: Uma ponte no assentamento Lisboa (mais de 20 km da cidade) e outra na BR-020 no bairro Vila Foca (mais ou menos 10 Km do beco).
Segundo moradores que ajudaram a construir a passagem de madeira, nenhuma autoridade política com cargo eletivo os procuraram e a única pessoa que foi até o local e ficou comovida com a situação foi a líder politica Pauliana Ribeiro e se surpreendeu ao saber da quantidade de comunidades que dependem dessas duas passagens e nunca foi tomada nenhuma providência pelo poder público para construir uma estrutura mais reforçada nos lugares.
Informações 180Graus