quinta-feira, maio 21, 2020

Sem apresentar soluções, Wellington Dias prorroga isolamento por mais 17 dias

O governador Wellington Dias (PT) confirmou a prorrogação os decretos de isolamento social no Piauí até o dia 7 de junho. A decisão foi anunciada após reunião com o Comitê de Operações Emergenciais (COE) para o coronavírus, no início da noite desta quarta-feira (20/05).
Retomada das atividades
Ele informou ainda que o grupo irá se reunir no próximo dia 2 de junho, com o setor empresarial, representantes dos trabalhadores, os poderes Legislativo e Judiciário, a APPM, Ministério Público e demais entidades para apresentação e debate dos protocolos para a retomada das atividades econômicas, o que deve ocorrer de forma gradual. 
"Destaco também já a sinalização para a retomada. O diagnóstico, a avaliação, é que, como era previsto, nós ainda essa semana vivemos um momento de crescimento [dos casos] no Piauí e no Brasil. A perspectiva é que na próxima semana, mas que no início de junho há uma possibilidade de estabilização, caminhando, se Deus quiser, para a queda dos indicadores de disseminação do coronavírus, de pessoas doentes e, portanto, menos demanda na rede hospitalar, mais pessoas recebendo alta", explica o governador.

Protocolos deverão incluir regras de saúde para quem já está em atividade, e para quem voltar a funcionar, seja micro, pequeno, médio ou grande empresário. "Estabelecer as regras para essa reabertura e as condições para o cronograma adequado, por onde começar", completa. São planos que já estão sendo apresentados, por exemplo, pela prefeitura de Teresina, o Sebrae, entidades representativas da construção civil e da indústria, cita o governador.
Até lá, Dias pede a colaboração da população para que seja mantido o isolamento social, como forma de reduzir os índices de contaminação.
"Nadamos, e não queremos morrer na praia. Queremos garantir que o Piauí tenha, do começo ao fim, uma condição segura e responsável, e que possamos enfrentar o coronavírus com menos perdas, menos óbitos", justifica.
Tempo ainda para que o governo possa ampliar ainda mais a capacidade de atendimento na rede de saúde. "Quero aqui pedir o seu apoio para prosseguir. Chegamos até aqui juntos. Mesmo sabendo que tivemos prejuízos na economia, tivemos prejuízos para empresas para os negócios, para a renda das pessoas, mas queremos sair de forma seguro, exatamente para depois dar passos largos no sentido da retomada do crescimento".
Fonte: 180Graus