segunda-feira, agosto 31, 2020

Pai e filho que assassinaram patrão se entregam à polícia no Piauí

                                      Kenardo e Guilherme se entregaram 
Dois homens identificados por Guilherme Cardoso de Freitas, de 64 anos, e Francisco Kenardo Rosendo de Freitas, de 20 anos, pai e filho, respectivamente, se entregaram a polícia por volta das 11hs da manhã de domingo (30), no município de Buriti dos Montes, a 250 km ao Norte de Teresina. Os dois assassinaram a golpes de foice, o dono da propriedade onde a família dos dois suspeitos morava.
                            Francisco Hélio foi morto a golpes de foice
A informação foi confirmada ao Em Foco pelo comandante do 15º Batalhão da Polícia Militar de Campo Maior, major Etevaldo Alves. Os dois foram transferidos de Buriti dos Montes para a Delegacia Regional de Campo Maior.
A dupla estava escondido em um matagal a cerca de 2 km do local onde aconteceu o crime e houve a negociação da políca com um familiar dos assassinos para que eles se entregassem. O tenente Ricarte, sargento Genivaldo e soldados Lima, Moreno, Tavares e Ricardo ficaram na região fazendo buscas desde ontem. 
"Desde ontem que a Polícia Militar fazia buscas na região e já negociava com uma pessoa da família para que os suspeitos se entregassem" disse o comandante da PM ao Em Foco.

Pai e filho assumiram a autoria do delito e foram apresentados à polícia civil em Campo Maior para serem autuados por homicídio e tentativa de homicídio. 
O CRIME
No início da tarde de sábado (29), Francisco Hélio Cavalcante Martins, de 60 anos, foi assassinado com golpes de foice, em sua própria residência, na localidade Sítio de Cima, a aproximadamente 18 km da sede do município de Buriti dos Montes. Embora tivesse casa em Buriti dos Montes, Hélio residia em Fortaleza.
O major Etevaldo informou que o homicídio aconteceu após uma discussão entre Francisco Hélio e o caseiro Guilherme e seu filho Kenardo. Ainda segundo a polícia, pai e filho ainda tentaram matar uma mulher identificada por Silvana que estava na companhia de Hélio.
Chico Hélio, como era mais conhecido, veio a óbito ainda no local, enquanto a mulher foi levada para Buriti dos Montes, e em seguida transferida para Crateús em estado grave. 
Segundo populares, o acusado Guilherme e seu patrão vinham passando por constantes conflitos há alguns dias. O proprietário da residência queria que seu caseiro Guilherme deixasse a propriedade, mas ainda não se sabe se realmente esse teria sido isso o motivo do crime.
Fonte: Meio Norte