quarta-feira, novembro 25, 2020

Em Parnaíba, educadores e pais de alunos protestam contra o fim do Colégio Estadual Edson Cunha

Educadores, alunos, pais e a comunidade em geral se reuniram na manhã desta terça-feira (24), em frente ao Colégio Estadual Edson Cunha (UEEC), no Bairro Pindorama, em um protesto pacífico pedindo ao governador Wellington Dias (PT) a reforma em caráter de urgência do prédio.
                          Por conta do abandono o muro do colégio caiu
Em estado de total abandono, a unidade de ensino que este ano completa 54 anos, encontra-se deteriorada. Um dos muros laterais já caiu, bem como o teto da quadra de esportes, as carteiras foram saqueadas por vândalos que também levaram portas, grades e janelas.
                               Abandonada, parte do teto da quadra desabou
De acordo com a diretora do colégio, Cláudia Miranda, todos temem que o colégio se transforme em mais uma ruína em Parnaíba. “O colégio vem sofrendo degradação em toda sua estrutura física há algum tempo, porém neste ano de 2020, quase não foi possível dar início ao ano letivo por inúmeros fatores como a ação de vândalos que vêm cometendo sucessivos furtos e arrombamentos no interior da instituição”, disse Cláudia.
                   Grande parte das carteira foram vandalizadas e destruídas
“No final do mês de maio o muro lateral da unidade desabou, deixando o prédio mais vulnerável ainda. Frente aos questionamentos da população em seu entorno e como resultado de amplo debate, diversas reuniões internas, expedição de inúmeros boletins de ocorrência e vários ofícios comunicando a dilapidação do patrimônio escolar, os funcionários da UEEC decidiram agir por meio desta manifestação externa em forma de protesto para dar maior visibilidade à comunidade escolar dos problemas que a escola enfrenta”, completou a diretora.
A dona de casa Heloísa Helena relatou que ela e os filhos estudaram no colégio e vê com tristeza o possível fim do Edson Cunha. “Eu e meus filhos estudamos aqui e dói muito ver o colégio se acabar dessa forma. Suplicamos que o governador Wellington Dias tome providências”, protestou Heloísa. Além do Edson Cunha, os colégios estaduais Chagas Rodrigues, no Bairro Dirceu Arcoverde e José Narciso, no Bairro São José, também se encontram na mesma situação. Os moradores do entorno do colégio temem que o colégio, a exemplo do Chagas Rodrigues e José Narciso, se torne uma "cracolândia" o que seria desastroso para aquela comunidade.
Por Luzia Paula para o Jornal da Parnaíba