quinta-feira, abril 15, 2021

Ministério Público apura suspeita de funcionários "fantasmas" na Assembleia Legislativa do Piauí

Em nota, o órgão informou que já ajuizou ação para impedir nomeação de comissionados e garantir alimentação do portal da transparência para manter sociedade informada. Procurada pelo G1, a Alepi ficou de se posicionar sobre o assunto posteriormente.
O Ministério Público do Piauí instaurou um procedimento para investigar supostas irregularidades envolvendo servidores da Assembleia Legislativa do Estado (Alepi).
Procurada pelo G1, a Alepi ficou de se posicionar sobre o assunto posteriormente.
Em nota, o Ministério Público informou que, no ano de 2019, ajuizou uma ação civil para que a Assembleia disponibilizasse informações à sociedade sobre gastos públicos no Portal da Transparência. O pedido foi reiterado no ano passado, e ainda foi determinada a manifestação da Alepi.
Além disso, em 2012, o MP entrou com uma ação impedindo que a Assembleia preenchesse os 2.355 cargos em comissão criados naquele ano e de efetuar o pagamento da verba de gabinete no valor de R$ 80 mil aos deputados estaduais. Este procedimento, conforme o órgão, ainda aguarda apreciação do poder judiciário.
Fonte: G1/PI