quinta-feira, maio 06, 2021

Prefeitura de Cajueiro da Praia é fechada por conta do grande número de casos de Covid-19

O município de Cajueiro da Praia, onde estão localizadas as praias mais belas do Estado do Piauí, dentre elas a de Barra Grande, vive um dos seus piores períodos desde o início da pandemia de covid-19. Nas últimas semanas, a cidade passou a registrar um grande número de casos confirmados de Coronavírus, com registro de mortes semanais, como é o caso do coordenador do Projeto Peixe-Boi Francisco Galeno.
Nesta semana, veio a confirmação de vários casos de covid-19, na Prefeitura Municipal de Cajueiro da Praia, dentre eles, o prefeito Felipe Ribeiro e a primeira dama, Clara Ribeiro. A sede municipal da prefeitura teve que ser fechada. O único posto de saúde da cidade está sobrecarregado e dezenas de pacientes com síndrome gripais buscam atendimento, aguardando resultado dos exames.
A coordenadora do Samu de Cajueiro da Praia, enfermeira Susane Souza, usou as redes sociais para fazer um apelo para que as pessoas sigam as medidas de restrições, se protejam e evitem aglomerações. “Estou fazendo um apelo, porque estamos preocupados, assustados com o aumento no número de casos de covid-19. Não temos hospital, dependemos de outros municípios e nosso posto de saúde não conta com muitos leitos’, ressalta Susane.

Durante o mês de março o município conseguiu controlar a disseminação do vírus, com as barreiras sanitárias e a proibição de entrada de pessoas que não moram ou trabalham no município. Mas, devido à pressão e críticas que recebeu de alguns empresários, as medidas tiveram que ser reduzidas, passando a adotar apenas as medidas ditadas pelo Estado do Piauí. “A partir daí, passamos a usar as redes sociais pedindo as pessoas que tenham consciência, mas é um trabalho muito difícil. Agora, estamos registrando um aumento considerável de novos casos”, ressalta a secretária municipal de Saúde, Joara Cunha.
O prefeito Felipe Ribeiro, que está em isolamento social, disse que em janeiro deste ano assumiu a gestão municipal com o compromisso de trabalhar para garantir a segurança sanitária de Cajueiro da Praia, mas confessa que vem enfrentando muitos problemas. “Vivemos em um santuário ecológico, um lugar que, atualmente, é visto como o maior potencial turístico do Estado do Piauí. Porém, necessitamos de apoio para que a população tenha um bom atendimento em várias áreas de serviços básicos, em especial, a saúde. No entanto, é preciso ressaltar que sozinho não temos como garantir tudo, necessitamos de um apoio. Nossa caminhada é diária, em busca de apoio do estado do Piauí”, enfatiza Felipe Ribeiro.
O prefeito ressalta ainda que desde quando assumiu a gestão municipal, vem garantindo as despesas de combate à pandemia somente com recursos próprios da prefeitura. Todo o montante, em torno de R$ 1.057.897,49, entre emendas e recurso de combate à pandemia, que foi repassado ao município em 2020 para atendimento e ações contra covid-19, foi usado pela gestão anterior. “Recebemos a prefeitura sem nada para investir em atendimento contra a Covid-19. E continuamos sem apoio financeiro, sofrendo desde janeiro os efeitos da segunda onda da doença e com vacinação lenta, pelo não envio de vacinas suficientes”, acrescenta Felipe.
Com um lockdown que surtiu efeitos em março de 2021, foi possível registrar a diminuição do número de casos de confirmados. A implantação do selo Turismo Responsável, o qual identifica e autoriza o funcionamento de pousadas, também foi muito importante. As empresas passaram a seguir nossas orientações de combate ao COVID-19, e foram adquiridos novos testes. Mas, os números do final de abril e começo de maio voltam a subir com registros de 20 a 30 atendimentos diários com pacientes com síndrome gripal que chegam ao posto de saúde.
O momento difícil que Cajueiro da Praia vive hoje por conta do aumento no número de casos de covid-19 preocupa a gestão municipal, pois o município continua recebendo visitantes, e mesmo com os alertas, realização de testes rápidos, não existem medidas mais rigorosas, pelo fato do município não ter estrutura para bancar barreiras sanitárias, testagem em massa e fiscalização diária. Atualmente, somente dois policiais ficam responsáveis pelo turno de policiamentos no município. A cidade segue o decreto estadual, que flexibilizou várias atividades, esta semana.
Ascom PMCP