quinta-feira, outubro 14, 2021

Exame cadavérico e perícia apontam que jovem matou sogra em cidade do Piauí

O delegado Miguel Carneiro, titular da Delegacia Regional de Polícia Civil de Jaicós, concluiu o inquérito nessa quarta-feira (13/10) sobre a morte de Gracenilda de Oliveira Silva, de 34 anos, ocorrido na noite do último dia (04/10) ), em sua própria casa, em Jaicós / PI. As informações são do Cidades na Net.
No dia do fato, a Polícia Militar foi acionada para atender um caso de suicídio. No entanto, ao chegar no local, os policiais levantaram a suspeita de que uma mulher poderia ter sido assassinada com um corte no pescoço. Um jovem de 21 anos, genro da mulher morta, foi encontrado no local com a roupa ensanguentada e demonstrando nervosismo, chegando, inclusive, a ser socorrido pelo SAMU e levado para o hospital da cidade.
Homem preso por suspeita de matar sogra em Jaicós Cidades na Net
A Polícia Civil e a Perícia Criminal foram acionados e analisaram o local. Diante suspeitas, o genro de Gracenilda foi levado do hospital para a Delegacia, passando a noite recolhido.
Na tarde da terça-feira (05/10), o delegado Miguel Carneiro, responsável pelo caso, diante do conjunto de indícios, representou pela prisão do suspeito em flagrante. No mesmo dia foi realizada a audiência de custódia, onde juiz e promotora decidiram por manter a prisão, e durante a tarde, o jovem foi levado para o presídio de Picos, onde segue preso.

A Polícia Civil, no entanto, ainda aguardava os laudos do exame cadavérico feito no corpo de Gracenilda e da perícia feita na residência onde o corpo foi encontrado. O delegado Miguel conhecido o material no início desta semana, e nesta quarta-feira (13/10), concluiu o inquérito policial.
“Concluí o inquérito dentro do prazo e entreguei ontem no Fórum. Ele foi indiciado por homicídio qualificado. No laudo cadavérico, o médico legista apontou uso do meio cruel. A vítima foi assassinada por esgorjamento. Isso é uma qualificadora do homicídio. Além disso, ele prevaleceu a proximidade com a vítima, do fato de morar com a vítima, para praticar o crime ”, informou o delegado responsável pelo caso.
“Chegamos a essa conclusão considerando tanto o laudo cadavérico, feito pelo médico legista em Floriano, quanto o laudo pericial feito no local do crime pelo perito criminal da Polícia Civil, que analisou a cena do local do crime. Nenhum desses laudos apontaram uma possibilidade de suicídio, pelo contrário, os dois apontaram para homicídio por morte violenta ”, disse Miguel Carneiro.
Nos interrogatórios a que foi submetido, o jovem de 21 anos, genro da vítima, fez uso do direito de silêncio e não deu nenhuma informação sobre o caso.
O delegado Miguel saliente que deu prioridade ao caso para que pudesse ser concluído com rapidez e não restassem dúvidas sobre a causa da morte de Gracenilda. O caso agora está com o Poder Judiciário.
Em entrevista, o delegado fez questão de destacar a atuação dos policiais que teve o primeiro contato com a cena no crime, tanto os militares, como os civis, e que no primeiro identificaram indícios de que a vítima não tem tirado a própria vida, mas sim, assassinada pelo genro. A autoridade policial enalteceu, também, a atuação do Ministério Público, por meio da Promotoria de Jaicós, que na audiência de custódia, opinou pela manutenção da prisão do suspeito do crime.
Fonte: 180 Graus