sábado, fevereiro 12, 2022

46 PMs suspeitos de fraude no concurso público de 2013 serão investigados e podem ser expulsos da corporação

                                              Foto: Marcelo Cardoso/GP1
O governador Wellington Dias (PT) determinou a investigação de 46 policiais militares suspeitos de fraude no concurso público da corporação com edital de 2013 e realizado em 2014. O decreto que instaurou a investigação foi publicado na página 7 do Diário Oficial do Estado dessa sexta-feira (11).
Os soldados integram a corporação há quase 10 anos e, com exceção de um expulso por participação em um homicídio, a comunicação da PM informou ao g1 que todos permanecem trabalhando enquanto o processo está em andamento.
A investigação vai ficar a cargo da controladoria-geral do estado e deverá ser concluído em 120 dias. Depois disso, o processo deverá ser submetido à procuradoria-geral do estado para a invalidação das nomeações - expulsões dos militares.
A primeira etapa do concurso, realizado em novembro de 2013, já tinha sido suspenso por suspeitas de fraudes e várias pessoas foram presas na Operação Certame, por participação no esquema. As novas provas foram realizadas em fevereiro de 2014.
Investigados por outros crimes
Os policiais, todos soldados, foram aprovados no concurso e integravam a corporação há quase 10 anos. Um deles, Max Kellysson Marques Marreiros, foi expulso da corporação em 2020.
Ele é acusado de matar a tiros o técnico em radiologia Rudson Vieira Batista durante briga em um bar em Teresina, em 2019.
O soldado Ivaldo Vieira da Silva Filho chegou a ser preso por matar um jovem e tentar matar a mãe do rapaz, em 2018, na capital. Imagens de câmera de segurança mostraram a ação. Ele, contudo, permanece na corporação.
Fonte: G1/PI