quarta-feira, março 23, 2022

Dez bombas de postos de combustíveis são interditadas durante operação em Parnaíba

Dez bombas de postos de combustíveis na cidade de Parnaíba (338 km de Teresina) foram lacradas durante a operação Petroleo Real – Litoral. A operação teve início em 21 de março e até o momento foram fiscalizados 33 postos de combustíveis. Desse total, 17 tiveram autos de infração expedidos por conta de irregularidades encontradas.
O coordenador de Fiscalização do Procon/MPPI, Arimateia Leão, destacou que as principais irregularidades encontradas durante a operação foram de bombas baixas (quando o consumidor perde até 160 mililitros a cada 20 litros de combustível) e o no percentual elevado de álcool encontrado nesses postos.
“Até o momento constatamos diversas irregularidades. Muitos postos na cidade não têm o equipamento para fazer análise dos combustíveis. Quanto à qualidade, um posto estava comercializando combustível com 32% de etanol, quando a legislação permite apenas 27%”, explicou Arimateia Leão.
O diretor do Imepi, Maycon Monteiro, também está na operação e destacou que as bombas lacradas apresentavam diversas irregularidades, desde o medidor de combustível ao painel de identificação dos litros que o consumidor deve pagar.
“As medidas de volume não estavam dentro dos padrões obedecidos pelo Imepi. Mangueiras de bomba medidora estavam danificadas. Três postos com problemas tiveram as bombas lacradas. Além disso, 8 postos estavam com irregularidades e na medida baixa”, completou Maycon Monteiro.
As irregularidades foram encontradas em postos na cidade de Parnaíba. No entanto, a operação segue nas cidades de Luís Correia, Cajueiro da Praia e Ilha Grande.
Gás de cozinha com irregularidades
A operação também fiscalizou 10 revendedoras de gás de cozinha na cidade. Duas dessas revendedoras estavam operando com produtos irregulares.
“Elas estavam comercializando botijões abaixo de 13 kg. Existe uma tolerância de 350 gramas, mas encontramos um desvio padrão em todos eles. Essas revendedoras podem ser multadas em R$ 150 a R$ 1,5 mihão”, completou Maycon. (Nataniel Lima)